#Eleições2010: Dilma Rousseff, a primeira mulher Presidente do Brasil

domingo, 31 de outubro de 2010 Faça um comentário!

Dilma Vana Rousseff, mineira de Belo Horizonte. Candidata pelo Partido dos Trabalhadores (PT) interessou-se pelos ideais políticos ainda na juventude.

 

SECRETARIAS NO RIO GRANDE DO SUL

Como militante, defendeu a luta armada contra a ditadura militar no Brasil. Passou três anos presa na Oban e no DOPS, onde teve de enfrentar as sessões de torturas. Ajudou na fundação do PDT, participando ativamente de campanhas eleitorais no Rio Grande do Sul. Exerceu o cargo de secretária municipal da Fazenda de Porto Alegre no governo Alceu Collares e depois de Minas e Energia, cargo também exercido no governo de Olívio Dutra. No ano de 2001, filia-se ao PT.
Participou da equipe que planejou o programa de governo de Luiz Inácio Lula da Silva na área energética no ano de 2002, logo é indicada ao ministério de Minas e Energia em 2003.

MINISTÉRIO DE MINAS E ENERGIA

Como ministra, Dilma mostrou-se boa de serviço e dura na queda. Respeitou os contratos assinados na gestão anterior e manteve os esforços para evitar um novo apagão elétrico no país. Considerada por companheiros e pessoas próximas como uma pessoa difícil, Dilma envolveu-se em várias polêmicas no cargo. Travou embates com a então ministra do Meio Ambiente Marina Silva na questão dos embargos á obras que causariam posterior desequilibrio ecológico.
Luiz Pinguelli Rosa, um dos seus acessores no ministério e então presidente da Eletrobrás chegou a declarar que  Dilma “formatava o disquete a cada semana”, numa referência as alternâncias de humor da ministra. Por fim, por motivos diversos de discorância, Pinguelli deixou o governo. Também houve divergências entre o Presidente da Petrobras, Sergio Gabrielli. O ex-deputado federal Luciano Zica declara que “a Dilma é a pessoa mais democrática do mundo, desde que se concorde 100% com ela.”
Considerada mulher de confiança do Presidente, é promovida a Ministra Chefe da Casa Civil em 2005, substituindo José Dirceu após os escândalos de corrupção, apoida por ele por Antonio Palocci.

MINISTÉRIO DA CASA CIVIL

No ministério da Casa Civil, Dilma envolve-se no primeiro escândalo.
A farra dos cartões corporativos eclodiu em janeiro de 2008, atingindo diretamente o governo federal e causando a demissão de Matilde Ribeiro (Ministra de Políticas de Promoção da Igualdade Racial).
Em março, com CPI instaurada, a Revista Veja publica reportagem denúncia onde afirma que o Planalto montou dossiês contra a oposição afim de esfriar a conclusão da CPI. Coube á Dilma negar a existência desse dossiê, apresentou em 15 dias três versões diferentes do caso que, mais tarde, foi comprovado que realmente houve um dossiê.
Houve também o caso Varig, onde Denise Abreu (então diretora da Anac) acusou a ministra de favorecimento na venda da VarigLog ao fundo norte-americano Matlin Patterson e a outros três sócios brasileiros. Denise saiu do cargo devido á CPI do Apagão Aéreo e continuou relatando o favorecimento de Dilma e Erenice na venda da empresa. Negando as acusações, até hoje o caso segue com fim desconhecido.
Pode até parecer que não, mas nem só de escândalos viveu o período Dilma na Casa Civil. Criou junto com outros ministros e com o próprio presidente o PAC – Programa de Aceleração do Crescimento. Apesar de boa barte das obras ainda sem sair do papel, o programa foi amplamente divulgado como grande feito de Dilma no governo Lula. Foi substituida por Erenice Guerra após aceitar o desafio da candidatura.

CANDIDATURA Á PRESIDENTE

Com toda a influência de Lula e sua superexposição, Dilma foi escolhida candidata a sua sucessão.
Politicamente falando, Dilma não tem grande experiência. Não participou de nenhuma eleição á cargo eletivo anterior. Ideias, projetos e propostas apresentados em campanha como de sua autoria na verdade foram apenas adaptações de outros já existentes ou inspiração de outros projetos já realizados Brasil afora.
Hoje, torna-se a primeira mulher a assumir a Presidência da República do Brasil com até agora 56% dos votos válidos.

É a 40ª presidente. Seu mandato inicia-se  em 1 de janeiro de 2011 até 31 de dezembro de 2014.

0 comentários »