Para defender interesses de Edir Macedo, jornalismo da Record ataca a Folha de SP

sábado, 11 de fevereiro de 2012 Faça um comentário!

A TV Record, emissora mantida com dinheiro arrecadado de fiéis da Igreja universal do Reino de Deus, uma seita religiosa que é acusada de formação de quadrilha, estelionato, evasão de divisas e lavagem de dinheiro, utilizou seus telejornais para atacar concorrentes. A vítima dessa vez foi a Folha de S. Paulo, um dos maiores jornais impressos do país.

Segundo a reportagem do Jornal da Record, a Folha manipulou uma pesquisa que relaciona ela como líder de mercado no segmento. Narrada por Ogg Ibrahim, e usando como fonte blogs (com credibilidade duvidosa) e que satiriza o jornal, a emissora do bispo Edir Macedo, líder religioso que vez ou outra estampa as páginas policiais, mostrou os números da chamada ‘queda nas vendas e na credibilidade’ do impresso paulista.

Tendenciosa, a reportagem faz alusão á uma eventual crise que atinge a Folha. A denúncia do “jornalismo verdade” é mais uma das artimanhas de Edir para denegrir seus desafetos.

 

PESQUISA MAL ENTENDIDA

Reprodução/TV Record

No último domingo, dia 5, a Folha divulgou uma matéria que dizia que a publicação foi líder nas edições impressas e digitais durante o ano de 2011. O jornal apontou que o resultado do estudo foi divulgado pelo Instituto Verificador de Circulação (IVC), que contabilizou a produção de 297 mil exemplares diários do veículo.

O jornal que mais vendeu no Brasil, no geral, foi o Super Notícia, sediado em Contagem (MG) e comercializado na região metropolitana de Belo Horizonte. De acordo com dados consolidados IVC, oficialmente reconhecido como o responsável por fazer esse tipo de levantamento, a publicação mineira vendeu em média 300 mil exemplares diários no ano passado. A Folha, segundo o instituto aparece na segunda colocação, com 297 mil. O Globo figura em terceiro.

Para justificar a exclusão do Super Notícia, a Folha argumentou que em seu discurso só considerou “os jornais de prestígio, do segmento premium”. “Quando incluídos os jornais populares, o Super Notícia, tablóide de R$ 0,25 de Belo Horizonte, registra 300 mil exemplares na média do ano, 3.000 à frente da Folha, que tem preço de capa de R$ 3 (R$ 5 aos domingos)", conclui o jornal.

Para a Record, o jornal O Estado de S. Paulo, o quinto mais vendido do Brasil segundo o IVC, é o principal responsável pelos números “ruins” que a Folha apresenta. Uma mentira que o canal insiste em passar a seus telespectadores.

Tem credibilidade?

0 comentários »