Big Brother Brasil 12: Pela primeira vez, reality cresce na audiência, mais cai no faturamento

sábado, 11 de fevereiro de 2012 Faça um comentário!

São longos 12 anos no ar. Você conheceu (ou já ouviu falar) em um dos 185 participantes da “casa mais vigiada do Brasil”.

O “BBB” era considerado o mais bem sucedido reality show da TV brasileira, tanto em faturamento quanto em audiência. O formato comprado pela Rede Globo da holandesa Endemol surgiu em 2002 no Brasil após polêmicas em torno de sua exibição.

 

DECADÊNCIA

Nos últimos anos, por causa de formatos semelhantes e pela falta de interesse, o programa amargou os mais baixos índices de audiência de sua história e vem perdendo definitivamente esse status.

Para se ter uma ideia, a jornada decadente do programa teve início a partir da 6ª edição, onde a audiência do programa foi de 43 pontos. Apesar de números excelentes, teve menos audiência do que a anterior, que obteve 47 e até hoje, mantém o recorde positivo do programa. Na última edição, a média geral se firmou como a pior até hoje. Foram ”pífios” 25 pontos.

Contados 31 dias após a sua estreia, o Big Brother Brasil 12 somou até hoje, uma média parcial de 27 pontos. É o melhor resultado alcançado pela atração desde 2006.  Ajudado principalmente pela polêmica de um suposto estupro, o crescimento inédito ainda preocupa a direção da Globo.

 

MÉDIA DE AUDIÊNCIA DAS EDIÇÕES DO BIG BROTHER BRASIL

´*O índice de 2012 refere-se apenas aos 31 dias de exibição.

 

OSTRACISMO

O forte apelo junto ao público fez que com que muitos anônimos recém saídos do programa, virassem celebridades instantâneas (os chamados ex-BBBs).

Curiosamente, na contramão do que se imagina, as últimas edições do reality provaram o equívoco, a fraca seleção de participantes e a ausência de grandes inovações. Nenhum sobreviveu na mídia por muito tempo depois do BBB. Hoje, com o mínimo de repercussão, o que se vê é participantes caindo em ostracismo antes de terminar a edição em que atua. Inimaginável em tempos atrás.

 

FATURAMENTO EM QUEDA

Até mesmo o inatingível faturamento do BBB mostra sinais de cansaço. Segundo levantamento do “Controle da Concorrência”, que monitora inserções comerciais para o mercado, o reality sofreu queda de 25,3% em ações de merchandising em relação ao "BBB11". Foram 50 produtos anunciados, contra quase 70 no mesmo período da edição anterior.

É cada vez menos telespectadores e anunciantes dando “aquela espiadinha”.

 


Os dados de audiência referem-se á medição da Grande São Paulo pelo IBOPE e equivalem á cerca de 58 mil domicílios.

0 comentários »