Emissoras na cobertura da morte de Nelson Mandela

sexta-feira, 6 de dezembro de 2013 Faça um comentário!

Dia 5 de dezembro será lembrado como o dia em que o mundo perdeu uma das maiores personalidades do século XX. Líder político e prêmio Nobel da Paz, Nelson Mandela morreu aos 95 anos. Mandela ficou internado de junho a setembro devido a uma infecção pulmonar. Ele deixou o hospital e estava em casa.

Anunciada às 19h45 pelo presidente da África do Sul, Jacob Zuma, a notícia foi instantâneamente divulgada por todos os meios de comunicação. Na televisão, as emissoras tiveram que modificar as escalas do telejornais noturnos para a cobertura da morte de Mandela.

A Record foi a primeira rede aberta a noticiar. Às 19h47, Marcelo Rezende interrompeu uma reportagem do “Cidade Alerta” para informar sobre a morte do líder sul-africano. Auxiliado apenas com imagens ao vivo da CNN, o jornalista destacou a importância de Mandela na luta pela igualdade racial. A cobertura da emissora seguiu no “Jornal da Record”, que contou com Heloísa Vilella em um link ao vivo de Nova York.

Em seguida, às 19h48, a Record News informou a morte de Mandela na edição noturna do “Hora News”. Também auxiliada por imagens geradas pela CNN, a emissora exibiu o obituário de Mandela com narração da jornalista Roberta Marques.

Com telejornais ao vivo no horário, SBT e Band interromperam os jornalísticos para informar a notícia. Às 19h48, a âncora do “SBT Brasil”, Rachel Sheherazade, deu a notícia. Em seguida, uma extensa biografia narrada por Joseval Peixoto mostrou a história de Mandela e as conquistas do líder ao longo dos anos.

Às 19h49, Ricardo Boechat, do “Jornal da Band”, leu a nota sobre o falecimento. A cobertura seguiria momentos depois com a biografia e informações sobre a morte de Mandela.

Às 19h52, e contrariando uma tradição de ser uma das primeiras, o “Plantão Globo” interropeu a novela das sete, “Além do Horizonte”, e foi ancorado pela jornalista Patricia Poeta. No “Jornal Nacional”, a cobertura seguiu com reportagens destacando a história de Mandela e a participação ao vivo do correspondente em Nova York, Hélter Duarte.

0 comentários »